terça-feira, 21 de março de 2017

Renato Roseno critica relação entre grandes corporações e classe política

O deputado Renato Roseno (PSOL) criticou, durante o primeiro expediente da sessão plenária desta terça-feira (21/03), a relação estabelecida no País entre as grandes corporações econômicas privadas e a classe política. Para o parlamentar, a megaoperação da Polícia Federal, na semana passada, que desmontou um esquema de corrupção no setor de carne, envolvendo políticos e empresas do setor alimentício, “é só mais um escândalo que expõe as vísceras de uma relação promíscua entre corruptos e corruptores no Brasil”.
De acordo com o deputado, o País vive sob um manto da corporocracia, em que grandes empresas do setor privado, inclusive algumas que foram alvo da última operação da PF, financiam recorrentemente campanhas políticas.
“A empresa JBF, que está implicada neste esquema de adulteração de carnes, e a Ambev, foram as maiores doadoras financeiras da campanha eleitoral de 2014, tendo ambas financiado as dos dois principais candidatos à presidência, Dilma e Aécio”, apontou Roseno.
O parlamentar destacou ainda que, nesta terça, a Polícia Federal está realizando buscas e apreensões em endereços de pessoas ligadas aos senadores Eunício Oliveira (PMDB/CE), Renan Calheiros (PMDB/AL), Valdir Raupp (PMDB/RO) e Humberto Costa (PT/PE), em mais uma fase da Operação Lava Jato.
“Fico imaginando como se sente e como pensa um cidadão brasileiro comum, que trabalha honestamente todo dia e, em uma semana, descobre que a carne que come é manipulada e na semana seguinte assiste a mais uma operação policial envolvendo figuras importantes do cenário nacional. Eu me sinto enojado de tudo isso, pois significa a total e completa desconfiança do sistema político brasileiro”, lamentou o deputado.
Em aparte, o deputado Leonardo Araújo (PMDB) endossou a preocupação de Roseno, com a relação entre os políticos e as corporações privadas brasileiras, e informou sobre a situação do senador Eunício em relação à operação da Polícia Federal hoje. “Venho esclarecer à população cearense que esta operação da PF não traz nenhum temor à biografia do senador Eunício. Não temos nenhuma preocupação quanto à sua implicação em algo ilícito, porque conhecemos a sua conduta ilibada e acreditamos que ele só está sendo alvo desta operação pela atribuição do cargo que ocupa”, salientou Leonardo Araújo.
Também em aparte, o deputado Danniel Oliveira (PMDB) reforçou a defesa ao senador Eunício, ressaltando que nada foi comprovado contra ele, e não se pode condenar alguém apenas por, supostamente, ser citado em alguma situação desfavorável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Web Statistics