quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Morre aos 87 anos o artista cearense Sérvulo Esmeraldo

Morreu na tarde desta quarta-feira (1º) o artista plástico cearense Sérvulo Esmeraldo. No último fim de semana, ele foi diagnosticado com um quadro de acidente vascular cerebral (AVC). Segundo amigos próximos, o velório deve ocorrer a partir das 8h desta quinta-feira (2) na capela do Palácio da Abolição, em Fortaleza.
A morte do artista cratense foi confirmada na noite desta quarta pela Secretaria de Cultura do Ceará.  Por meio, o secretário Fabiano dos Santos Piúba manifestou pesar pela partida do artista "visual e universal Sérvulo Esmeraldo, o poeta das linhas, que tinha o mundo por ateliê". (Veja íntegra da nota abaixo).
Intitulada Sérvulo Esmeraldo: A Linha, A Luz, O Crato, foi a última exposição realizada pelo artista. De acordo com amigos, ele estava bastante feliz por sua cidade natal (Crato) receber suas obras.
Sérvulo completaria 88 anos em 27 de fevereiro de 2017. Ele cresceu e realizou sua primeira exposição individual, em 1951. A segunda, na cidade cidade, veio no ano de 2001, durante a Bienal de Artes do Cariri, e, no ano de 2010, houve outra, mas em Juazeiro do Norte, no Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBN), segundo o governo do Ceará.
Secretário de Cultura Fabiano dos Santos Piúba
A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) manifesta profundo pesar pela partida do grande artista visual cearense e universal Sérvulo Esmeraldo, o poeta das linhas, que tinha o mundo por ateliê. Aos 88 anos, Sérvulo nos deixou de presente um legado maravilhoso e em constante expansão, graças aos seus incansáveis esforços como artista dos traços, das linhas, um eterno brincante com a luz.

Desde a adolescência, quando iniciou seus trabalhos no mundo da arte, com a xilogravura, até os tempos da Sociedade Cearense de Artes Plásticas, a histórica SCAP. Desde as andanças entre Paris e Fortaleza, consolidando seu nome e se tornando referência na história da arte nacional, até sua primeira exposição individual no Crato, em 1951. Desde o seu memorável projeto dos Excitáveis, trabalhando arte cinética, até as esculturas com chapas de aço laqueado, com planos dobrados e pintados, nos anos 60.
Nos anos seguintes, Sérvulo desenvolveu seus projetos de escultura e uma percepção de tridimensionalidade em obras quase planas. Participou de diversas exposições pelo Brasil, na França e recentemente na Suíça.
Em setembro, tivemos o privilégio de estar com Sérvulo em sua cidade natal, o Crato, onde ele gostava de dizer que tudo começou. Comparecemos à exposição em sua homenagem que mesclava as vertentes de produção de toda uma vida. Sua contribuição às artes é imensurável, com obras cuja marca registrada era a reinvenção.
Cumpre destacar que o Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural, o Coepa, abriu o processo de tombamento provisório do Casarão Bebida Nova, na zona rural do Crato, onde Sérvulo nasceu e que pode se tornar um centro de referência e memória de sua obra. Ao visitar o Casarão dos Esmeraldos, pudemos compreender o trabalho do artista na linha imaginária entre a casa e a Chapada do Araripe.
O povo brasileiro, em especial o cearense, chora a partida desse artista referencial, sabendo, porém, que Sérvulo está vivo em suas obras pela cidade, em seu desejo de aproximação entre arte, arquitetura e experimentação social. Um grande artista integrante da memória das artes do Ceará, do Brasil, do mundo. A Secult expressa sua solidariedade com Dodora Guimarães, companheira de arte e de vida, com os familiares, amigos, colegas de arte e de luta, bem como com todos aqueles que se instigaram e se emocionaram com uma obra que permanecerá cada vez mais presente.
G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Web Statistics